quinta-feira, 4 de agosto de 2016

Tag Cinematográfica: Desafio dos 30 filmes (#8)

Desafio dos 30 filmes: Dia 8 - Um filme com seu ator favorito

Sem tempo para continuar meus desafios, entendi bem porque demorei tanto a voltar a fazê-lo. Não só por falta de tempo, mas porque particularmente essa tag seria bem complicada. Um ator favorito? Sinceramente, eu tenho muitos atores favoritos. E não só os bonitões, diga-se de passagem. Mas convenhamos, há muitos, mas muitos bonitões, mas eu ainda preciso dizer que passei dessa fase de gostar de um filme porque tem um galã que interpreta como um bidê. Sorte a minha que meus bonitões favoritos são de bons a excelentes atores (amém!) e entre eles estão os mais antigos, que comecei a gostar ainda criança: Johnny Depp, Elijah Wood e Robert Downey Jr. 
Só por estes três vocês podem perceber o quão sério eu trato os meus gostos: Johnny eu aprendi a amar com "Edward - Mãos de Tesoura", um filme do Tim Burton que não tem nada de aparato para exaltar sua postura de galã - embora ele fosse na época, muito bonito e desejado. Hoje, ele mesmo é achincalhado a torto e direito por ter dado umas bofetadas (ainda que não fomos testemunhas oculares, podemos ler muitas notinhas de repúdio ao ator) na sua ex e mais recente esposa. Não muda em nada pra mim. Continuo e continuarei a assistir seus filmes. Se formos procurar gente perfeitinha para gostar a gente cai na vala da hipocrisia que - não sei se sabem - está mais lotada que o inferno. Se ele fez ou não fez isso, não é da minha conta. Esse negócio de ter que se revoltar com atitudes bizarras das celebridades é muito complicado. A linha entre o que realmente aconteceu e o que a mídia quer mostrar é muito tênue. Eu sou uma ninguém em querer fazer coro junto à turma que agora o crucifica por ser mais um machista espancador e detonar a carreira dele, ou fazer coro à aquela outra turma que acha que a modelo na verdade não é vítima e sim, a culpada. 
Elijah Wood era um molecote quando assistia aos seus filmes. Ator mirim. E eu uma criança também. Oras... Já dá para somar dois + dois ai. Se eu adolescente o veria de novo, em filmes mais independentes e na trilogia "O Senhor dos Anéis", só poderia ser uma boa coincidência pois, afinal, atores mirins tendem a ter uma vida adulta complicada ou simplesmente sumirem do mapa.
E Robert Downey Jr. eu gosto desde "Chaplin" (e já falei disso aqui) e já achava ele super legal desde "Only You". Ou seja, galerinha que adorou "Guerra Civil", recadão: eu já achava amável Robert Downey Jr. e Marisa Tomei antes deles contracenarem neste filme do Capitão América, ele como icônico Homem de Ferro e ela como tia do Homem Aranha... Menos, please!

Mas a minha lista continua enorme, poxa e muitos deles, eu comecei a ver os seus filmes 10 ou 15 anos para cá. na minha lista tem James McAvoy, Michael Fassbender, Daniel Radcliffe, Tom Hiddleston (ah, Tom!), Daniel Day Lewis, Alan Rickman, Ben Stiller, Hugh Jackman, Sir Ian McKellen, Ralph Fiennes, Russell Crowe, Viggo Mortensen, Martin Freeman, Christoph Waltz, Will Smith e tantos outros que vocês vão se cansar de ler.

Olhando toda a lista que ainda preciso responder, o lance é o seguinte: em nenhuma delas poderei responder sobre o meu filme favorito de um ator que gosto muito ( gosto também, desde criança). Faltou ali na lista falar do Jim Carrey. Então, eis a tag do dia 8, resolvida - pelo menos em partes. Agora o desafio é escolher qual dos filmes com ele, é o meu favorito.

O primeiro filme que assisti com ele foi "O Máscara". Eu passei a imitar o andar dele em casa e é claro que família é família, mas todo mundo ria dizendo ser igual (o que pode ou não ser verdade). 
Depois assisti à "Ace Ventura - Um Detetive Diferente", "Débi & Lóide" que são todos do mesmo ano. Em seguida "Batman Eternamente", "Ace Ventura Um Maluco na África","O Pentelho", "O Mentiroso" e aí ele se aventurou no seu primeiro filme sério "O Show de Truman" e foi bem sucedido: Jim é muito mais do que caretas e contorções. Dali veio: "O Grinch" (adooooooro!! Assisto todo Natal), "Eu, eu mesmo e Irene", "Todo Poderoso", "Desventuras em Série", "Brilho Eterno de Uma Mente Sem Lembranças", "As Aventuras de Dick & Jane", "Número 23", "Sim, Senhor!", "O Golpista do Ano", "Os Pinguins do do Papai" e "Débi & Lóide 2".
De sua lista de filmes, desafortunadamente ainda não assisti (e isso é uma vergonha) "Cine Majestic" (e pretendo pagar essa dívida assim que tiver uma folga), "O Mundo de Andy" (sim, vou tentar encontrar esse filme e assistir logo) e "Kick Ass 2" (porque nem assisti o primeiro...)
Sim, eu concordo. A chance de pelo menos um destes três filmes ser exatamente o melhor filme dele é muito grande. E nisto, eu vou ter que ir nas outras escolhas e correr o risco de "errar" porque ainda não assisti à estes três. 
Baseado no que eu assisti aqui vai: um filme com meu ator favorito 

► "Ace Ventura - Um Maluco na África" (1995)


O primeiro filme nos apresenta um detetive de animais, que procura os bichinhos que foram sequestrados, roubados. Até ai soa um roteiro ruim, mas nem tanto. O detetive é um cara que usa roupas coloridas, tem um cabelo estranho e um inteligência digna de um Sherlock Holmes, só que sarcástico. Pois bem, filme de comédia. Se fosse feito por um cara meia boca, poderia ser um total fracasso.
Já no primeiro filme eu havia decorado pelo menos umas duas frases do personagem, Ace. Entre elas, a minha favorita:



Este primeiro longa é de 1994, o mesmo ano de "O Máscara" e eu já estava imitando o jeito dele de andar - que aparece um pouco como a forma que Ace Ventura também caminha. Ali, a história é um tanto pesada para uma criança - e ainda menina - de 7 anos; idade que eu tinha na época do filme. Mas naquela época eu cantava à plenos pulmões as músicas dos Mamonas Assassinas, que depois dos meus quinze anos, eu percebi o que elas realmente significavam e fiquei um tanto chocada. Mas é certo que isso não fez de mim uma criança problema, porque na realidade eu dava risada, mas eu tinha a plena certeza que eu não entendia patavinas do que estava sendo dito. Me espanta que a galera do politicamente correto hoje queria censurar tanta coisa para não passar uma má influencia para a criançada. De duas uma: ou a minha geração era muito taioba ou essa criançada de hoje é muito evoluída. Acho que é mais a primeira opção, já que uma geração que não sabe fazer pesquisa na biblioteca dificilmente terá a malícia que muitos acham que tem.

Mas voltando ao filme, a ideia de um jogador de futebol americano que vira mulher e policial é bizarra ainda que seja em filme de comédia. A cena final, na qual Ace comprova que Louis Einhorn é na verdade Ray Finkle, o kicker do Miami Dolphins, é uma piada que você não contaria à uma criança de 7-8 anos sem ser preso pelos pais dela.

Mas o ápice da risada veio um ano depois e eu já devia ter quase meus 10 anos quando assisti: "Ace Ventura - Um Maluco na África" é igualmente - se não mais - baixo que o primeiro. 
Depois de se frustrar em salvar um guaxinim, Ace fica recluso em um templo budista. Procurado para uma missão na África afim de salvar duas tribos de uma guerra entre si, com o sumiço do morcego sagrado, ele parte para a região africana e tenta descobrir o paradeiro do animal. O desaparecimento do bicho é considerado uma maldição para as duas tribos cujos o príncipe e a princesa de uma e de outro, estão prometidos em casamento. 
Desde o começo, Ace solta uma cena icônica atrás da outra: ao sair do templo ele usa as escadarias para fazer uma mola de brinquedo descer vários degraus. Ele pára faltando apenas um. No avião, ele faz sons de animais e fala "tem uma coisa presa na asa", frase que eu uso sempre que surge algum problema. Depois que ele chega ao "contratante" do serviço, há a cena do projetor que lembro de ver minha família (e eu, claro!) chorar de rir. Quando ele chega à tribo, há a cena dos cuspes, a cena da descoberta que o animal sumido é um morcego e que na verdade Ace não é muito fã ("Morra ave do mal" e "Criatura alada de satã" são outras frases que eu repito - podem perguntar à quem convive comigo, se duvidam). E claro, entre muitas, a cena em que ele está dentro de um rinoceronte robô como disfarce, falha a saída e ele só sai (sem nenhuma roupa) por um minúsculo buraco na bunda do animal, como se tivesse sendo "parido". Parece nojento, mas é incrível! Qual ator de Hollywood faria isso? Ne-nhum. Comediante? Bem, duvido que alguma faça as cenas tão engraçadas como ele. Mike Meyers fez a própria a paródia de James Bond e sempre foi muito eficaz. Ben Stiller, que gosto muito, não tem boas cenas visuais, são tem mais falas e situações engraçadas de seus filmes. Adam Sandler? PeloamordeDeus. Não sei porque aquele cara ainda existe. Acho que um bom candidato para fazer umas coisas bem loucas assim seria Jack Black, mas eu tenho mais medo do Black do que acho graça nele rsrsrsrs...

E é isso. Ace Ventura é um personagem sem precedentes para mim. Os filmes com o Jim, por mais porcaria que soem, eu vou assistir porque eu sei que esse cara vai arrancar risadas minhas. E não tem nada melhor do que uma comédia boa - e baixa, se for o caso - para aliviar a alma e arrumar umas dores no músculo da barriga.

Enfim, escrevi demais sobre. A tag do dia 8 quase vira um livro. 
Fica agora para vocês comentarem logo abaixo qual é o filme que vocês gostam de um ator favorito.

E fiquem bem. Volto quando puder. 
Abraços afáveis!

► Para acompanhar as outras escolhas 1, 2, 3 , 4 e 5:  

Nenhum comentário: