sexta-feira, 22 de abril de 2016

Tag Cinematográfica: Desafio dos 30 filmes (#6)

Desafio dos 30 filmes: Dia 6 - Um filme ruim com um diretor bom


É bem raro que eu alugue um filme porque eu goste do diretor. Geralmente a escolha é devido à trama ou quando tem pelo menos um ator que me agrada. 
Em muitas listas, a crítica especializada desce a lenha em filmes como "Indiana Jones e a Caveira de Cristal" de Steven Spielberg, "Star Wars - Episódio 1" de George Lucas, "Gangues de Nova Iorque" de Martin Scorcese e até "Planeta dos Macacos" do Tim Burton.
Falo sem medo de ser feliz: são filmes meio fracos em alguns pontos, mas muito longe de serem filmes péssimos. Talvez o Indiana Jones, com ruim roteiro e desenvolvimento cheios de clichês casa. Mas tem bons atores, e além do mais: o que se esperar de um filme como esse se não uma tentativa daquilo que fez dele, um clássico?
Há filmes que eu não gostei, como por exemplo "Prometheus" de Ridley Scott. Esse lance de gente "hospedando" alienígena dentro da barriga, colocando-os para fora e depois sair fugindo dos seres hostis, além de ser meio nojento, já é assunto batido. 
Outro que não gostei foi "Avatar": cansativo, enrolado, e colorido. Por pouco, o sanduíche do almoço não voltou do estômago com aquele tanto de cores azul, verde e rosa fluorecente. Fora que a história em si, pode ser resumida em duas frases. De qualquer maneira, não há filme na minha lista de favoritos do James Cameron. No máximo "Exterminador do Futuro 2" e por conta da tecnologia e só. "Titanic" é piada, convenhamos.

Não gosto dos filmes de Woody Allen. São filmes do dia-a-dia. Quando com atores bons, eles ficam meio abobados. Quando com atores excelentes, eles ficam com todo valor e beleza do filme.
Na mesma medida, não tive boas experiências com filmes do Pedro Almodóvar.

Bem, lá vamos: gosto do Peter Jackson. E das listas que andei pesquisando para ver se alguém já falou sobre a minha escolha, só citam como seu pior filme o "Um olhar no paraíso". Este mão é um filme ruim. O roteiro é baseado num livro de mesmo nome, e na verdade é muito triste o que acontece com a personagem - principalmente pela forma com que ela morre. O filme não é nada ruim, então não sei porque surgiu em alguma crítica negativa...

Mas vá lá. Peter Jackson. Vi muitos, praticamente todos. Nenhum me entendiou mais com o "King Kong".


Diretor entusiasmado com o projeto e fã do filme de 1933 

Empresa de efeitos especiais espetacular (a WETA) 

Atores como Naomi Watts, Jack Black, Adrien Brody e nosso querido Andy Serkis topam viver os personagens do longa 

Roteiro estruturado com diretor e duas companheiras na escrita 

Bela fotografia e cenários 

Dinheiro e bastante dinheiro do estúdio (que aceitou rápido o projeto que estava engavetado a muito tempo, por conta do ganho de 13 Oscars) 

Tudo isso consta. 
Há alguns miseráveis furos, quase imperceptíveis de quando você está mergulhado na trama: o que acontece com o povo da ilha da Caveira? Como o macacão chega até NY?
Estes dão para relevar uma vez que é um filme de aventura com o tom romântico-dramático da moça com o animal. 

Mas - Meu Deus! - 3 horas e 7 minutos de filme com um macaco desproporcionalmente grande (acho inclusive, maior que nos outros longas) aparecendo, assustando uma turma e se apaixonando por uma loira que cabe na palma de sua mão? Já temos dois filmes com a mesma temática, ou seja, era preciso alguma grande novidade. 
Sim, há uma épica luta de Kong com um dinossauro igualmente enorme. É uma bela cena de efeitos, que deve ter custado um tempo danado da galera da WETA e ficou bem feita. Mas deve tomar pelo menos uma meia hora do filme - se já não bastasse ser longo ainda exagera em uma parte de bichos que só fazem em tentar se matar em meio à muitos rugidos.
Se a maioria de seus filmes tem apelos despretensiosos, depois dos 13 Oscars, PJ escorregou na casca da banana do Kong - uma banana proporcional à criatura - e se revelou muito megalomaníaco com o longa. Não tinha necessidade. 
Depois, deu uma diminuída com "Um Olhar no Paraíso", mas a trilogia d' "O Hobbit" pode ter sido exagerada a ponto de que condensou muitas  partes legais do livro e outras, estendeu para acabar dando 3 filmes.  Eu teria sumido com a perspectiva da paixonite do anão com uma elfa inexistente no romance. Mas né... Deixa estar.

PJ que me perdoe, mas se seu King Kong fosse mais ligeiro eu até não iria criticar. Juro que não.

E vocês, têm algum filme que acharam ruim mas se surpreenderam pois o diretor é famoso por boas obras?

Abraços afáveis! Bom fim de semana à todos!!!

► Para acompanhar as outras escolhas 1, 2, 3 e 4:  
Dia 1: Um filme que lembre a sua infância ; 
Dia 2: Um filme que você considera um clássico ;
Dia 3: Um filme com final surpreendente ;
Dia 4: Um filme que te faz chorar ;
Dia 5: Um filme com um vilão inesquecível .

Nenhum comentário: